Tipos de Radiação UV

A faixa do espectro eletromagnético que compreende a radiação ultravioleta é subdividida em 3 tipos diferentes: UVA, UVB e UVC. Esta diferenciação se dá em função, principalmente, dos efeitos fotobiológicos que os diferentes comprimentos de onda de cada faixa provocam sobre os seres vivos. A radiação UVC tem o menor comprimento de onda e a UVA o maior.

Do total de radiação emitida pelo Sol, uma pequena parcela chega até a superfície terrestre. E isto ocorre porque a atmosfera funciona como um verdadeiro filtro. 

No caso da radiação UV (UVAUVB e UVC), o maior filtro natural é a camada de ozônio, situada a cerca de 30 km da superfície terrestre.

Uma parte considerável de toda a radiação UV que atravessa a atmosfera é filtrada pela camada de ozônio, e a que chega até nós é a quantidade adequada para que a vida na Terra seja possível.

Qualquer alteração na quantidade de radiação UV que chega até a superfície da Terra pode causar danos à saúde, além de desequilibrar os processos fotoquímicos e fotobiológicos importantes, causando prejuízos para a fauna e flora.

Vamos conhecer um pouco sobre cada tipo de radiação UV:  

Radiação UVA (faixa de comprimento de onda entre 315 e 400 nm).

A atmosfera é bastante permeável a esta faixa de radiação. Assim, boa parte da radiação UVA que atinge a atmosfera consegue atravessá-la sofrendo pouca atenuação.

Ao atingir os seres humanos, a R-UVA penetra nas camadas mais profundas da pele causando danos à saúde.

Radiação UVB (faixa de comprimento de onda entre 280 e 315 nm).

A camada de ozônio absorve fortemente a radiação UVB que chega à Terra.

Porém, mesmo as pequenas quantidades que chegam à superfície podem ser substancialmente danosas à saúde. Esse tipo de radiação não penetra tão profundamente na pele quanto à radiação UVA, porém tem um potencial nocivo muito mais importante. A radiação UVA é considerada cancerígena e principal responsável pela maior parte dos danos à pele e aos olhos.

Radiação UVC (faixa de comprimento de onda entre 100 e 280 nm).

É totalmente absorvida pelo oxigênio e pelo ozônio presentes na alta atmosfera e não atinge a superfície terrestre.

É altamente penetrante e extremamente danosa à vida. É utilizada, por meio de fontes artificiais, para esterilizar instrumentos cirúrgicos e a água. Caso atingisse a superfície em quantidades relevantes, provavelmente a vida na Terra estaria ameaçada para a maior parte dos seres vivos.

A ilustração a seguir, permite observar a intensidade com que as radiações UVA, UVB e UVC atingem a superfície.

Intensidade com que a R-UV atinge a superfície da Terra, após atravessar a camada de ozônio. Fonte: Programa Sol Amigo

Intensidade com que a R-UV atinge a superfície da Terra, após atravessar a camada de ozônio. Fonte: Programa Sol Amigo

Não existem filtros solares com fator de proteção solar contra a UVC. Apesar de nociva, ela não chega à superfície e não é motivo de preocupação. Por isso, os filtros solares comerciais possuem fatores de proteção solar (FPS) somente contra UVA e UVB.