Sistema imunológico

O nosso sistema imunológico, ou seja, o sistema responsável pela defesa do nosso corpo contra infecções por vírus, bactérias e parasitas, também é afetado de forma significativa pela exposição excessiva à radiação ultravioleta.

Quando a pele é exposta à radiação ultravioleta, uma complexa cascata de eventos se inicia, e termina com a inibição do funcionamento do sistema imunológico, também chamada de supressão imunológica.

Essas alterações podem ter uma duração curta, de apenas alguns dias, entretanto com as exposições repetidas à radiação ultravioleta, elas poderão se tornar mais duradouras.

São três as células do sistema imunológico que têm suas funções mais afetadas pela radiação ultravioleta: 1) células apresentadoras de antígenos, 2) línfócitos T helper e Linfócitos T reguladores.

O grau de supressão e a forma como as células imunes serão afetadas depende da quantidade, tempo, extensão e frequência da exposição à radiação ultravioleta.
Célula apresentadora de antígeno

Célula de Langerhans. Fonte: http://www.biosite.se

Um antígeno é toda a partícula ou molécula capaz de iniciar uma resposta imunológica, a qual começa pelo reconhecimento pelos linfócitos e termina com a produção de um anticorpo específico (uma glicoproteína que ataca proteínas estranhas ao corpo).  As células apresentadoras de antígenos processam os antígenos que penetram em nosso corpo e expõem em sua superfícies partes desses antígenos, possibilitando o reconhecimento desses pelos linfócitos, dando início à ativação do sistema imunológico.

Como exemplo temos os macrófagos, encontrados no tecido conectivo, presente em todo o nosso corpo, e as células de Langerhans (ou dendríticas), abundantes na epiderme da pele.

Linfócitos


Linfócito T helper. Fonte: http://www.daviddarling.ifo

Linfócitos T helper: São os intermediários da resposta imunológica. Essas células proliferam após o contato com o antígeno para ativar outros tipos de células que agirão de maneira mais direta.

Linfócitos T reguladores: Regulam o sistema imunológico evitando que este ataque as próprias células do nosso corpo.

Cascata da supressão imunológica

Cascata da inibição do sistema imunológico: Schaet al., 2005; Schwartz, 2005; Ullrich, 2005; Hanneman et al., 2006

Experimento demosntrando a inibição do sistema imunológico

Nesse experimento podemos observar a diminuição da resposta imunológica da pele contra substâncias alérgicas, após exposição à radiação UV. Na imagem da direita a pele não foi exposta à radiação ultravioleta (-UV); podemos observar que as substâncias alérgicas injetadas na pele causaram uma reação representada pelos círculos avermelhados. Na imagem da esquerda, a pele foi exposta a radiação UV (+UV); podemos observar que houve uma diminuição significativa da reação da pele às substâncias alérgicas . Fonte: The Environmental Effects Assessment Panel Report for 2006: FAQS.

Quais as consequências da supressão imunológica?
  • Aumento do risco de infecções
    (por vírus, bactérias, parasitas ou fungos)
  • Diminuição da capacidade de reação à cânceres
    (o organismo pode ficar mais susceptível a estas doenças e/ou sua progressão)
  • Reativação de vírus latentes
    (surgimento de herpes simples, por exemplo)
  • Redução na eficácia das vacinas
    (perda da capacidade do organismo de responder às vacinas)

Essas alterações podem ser de curta duração, apenas alguns dias, entretanto se tivermos o hábito de nos expormos ao Sol repetidas vezes e por longos períodos de tempo  à radiação UV, essas alterações poderão tornar-se mais duradouras