Especialistas alertam para a Síndrome do melanoma familiar

Por Karina Toledo (Agência FAPESP): Pessoas com histórico familiar de melanoma possuem risco pelo menos 30 vezes maior de desenvolver a doença e necessitam de acompanhamento dermatológico contínuo a fim de obter um diagnóstico precoce, alertaram especialistas durante o 14º Congresso Mundial de Câncer de Pele, realizado em São Paulo em agosto.

“Entre 5% e 10% dos casos de melanoma estão relacionados a mutações genéticas hereditárias, que tornam esses pacientes e seus familiares mais suscetíveis a desenvolver o tumor. Clique aqui e acesse a entrevista na íntegra.

Imagem: www.atlasdermatologico.com.br